BIPP – Inclusão para a Deficiência

PROMOVER A EMPREGABILIDADE DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO SETOR AGROALIMENTAR


VALOR ATRIBUÍDO
24.773€

B.I.
O BIPP desenvolve a sua atividade na implementação de projetos destinados à inclusão na sociedade de cidadãos com deficiência. Em 2009 criou o Programa Semear, composto por cinco projetos, três dos quais ligados ao desenvolvimento de competências e empregabilidade no setor agroalimentar, como são os casos de negócios sociais Semear na Terra e Semear Mercearia, onde de produzem produtos e transformam hortícolas.

O desafio
As respostas existentes, nomeadamente as subsidiadas pelo Estado, para os jovens com algum tipo de deficiência a partir dos 18 anos, são muito escassas, centradas apenas na vertente ocupacional, e com baixa taxa de sucesso para empregabilidade sobretudo para pessoas com dificuldade intelectual e desenvolvimental (DID). A maioria dos formandos que terminam a formação profissional não consegue mais do que um estágio profissional sem um consequente emprego com contrato de trabalho e um devido acompanhamento que permita a retenção e manutenção do posto de trabalho.

A solução
O sector agroalimentar tem atividades predominantemente práticas que correspondem ao perfil de competências e de potencial de empregabilidade das pessoas com DID. O número de empresas do setor agroalimentar, comércio e indústria é elevado no distrito de Lisboa e com maior oferta de emprego face a outras zonas do país. A oferta neste setor cria mais hipóteses de emprego e consequente maior potencial de autonomia para a pessoa com DID, além de reduzir custos. Como o Prémio Fidelidade vai contribuir O Semear conta atualmente com um investimento inicial de 80%, fruto de financiamento privado, valor que suporta os custos dos equipamentos, rega e infraestruturas para a produção no Semear Terra e Semear Mercearia. Com este apoio do prémio, o Semear pretende aumentar as vendas endógenas dos produtos hortícolas e transformados para garantir a autossustentabilidade e consequente integração socioprofissional de pessoas com DID no mercado de trabalho. Para isso precisa de apoio financeiro para adquirir os materiais necessários para a produção e transformação agrícola, bem como para a preparação das instalações para venda da produção e exploração, produção de suportes de comunicação e garantir uma parte dos custos com os recursos humanos necessários para acompanhar a reinserção social dos jovens com DID.

Resultados e impactos esperados com o apoio
– Formação, capacitação, integração e retenção do posto de trabalho de jovens adultos com DID no setor agroalimentar, contribuindo para a sua autonomia, sustentabilidade e valorização pessoal.